Olá, mundo!

30 Set

Esse é um daqueles posts iniciais que (tenho fé) vêm como brinde em todo blog criado. Para não cometer desfeita, deixo-o aqui, porém com as minhas modificações, porque não faria sentido mantê-lo em inglês. Não que eu tenha aversão pelo inglês ou que Shakespeare me faça torcer o nariz, mas de anglicismo já estamos cheios. Bom mesmo é falar a nossa língua, que não é tupiniquim, como deveria querer Policarpo Quaresma, mas que não deixa de ser bem nossa. A língua do bom negro e do bom branco da nação brasileira que não gostam de firulas e mandam logo: “me dá um cigarro.”